Não há extrema-esquerda, ainda…

View this post on Instagram

Não existe extrema-esquerda hoje, embora usem o termo. Existem desejos de contraviolência, autoproclamações comunistas, mas não há ninguém por aí com atuação de extrema-esquerda, ainda. A última extrema-esquerda do mundo foi o Rote Armee Fraktion (Fração do Exército Vermelho), grupo alemão que seguia a cartilha do manual do guerrilheiro urbano de Marighella – assaltos a bancos espoliadores para financiar a luta (prática que alguns bolcheviques tiveram que fazer no início para se erguer diante do poderio vigente), sequestros de figuras importantes em troca de presos políticos (no Brasil, é famoso o sequestro do embaixador americano; o RAF sequestrou um nazista símbolo do capitalismo alemão), ocupação de rádios para furar a bolha e conscientizar a população sobre os desmandos da direitalha (como a Ação Libertadora), etc. Os grupos de luta armada no Brasil foram dizimados pela ditadura de chumbo no início dos anos 1970, mas o RAF permaneceu até 1998 – com três gerações. A primeira, fruto do espírito estudantil, recebeu apoio de Sartre (ele adorava revolucionários, vide seu encontro com o Che), mas foi presa e morta. A segunda encarnação teve sobreviventes, mas também foi julgada, vários mortos, não sem arrastarem consigo banqueiros, militares americanos, políticos! A terceira foi a mais sutil, por causa da queda do Muro de Berlim; num gesto de grandeza, recusou o suborno do governo para largar a guerrilha, mas perdeu o sentido após o desmanche da União Soviética. Eu diferencio tais grupos de luta armada dos movimentos revolucionários populares que forjam líderes orgânicos como um Lênin ou Che. A ação minoritária de extrema-esquerda é resposta sob situação ditatorial e de alienação do povo. Viria bem a calhar, no Brasil atual, ações do tipo, embora o aparato de inteligência de hoje dificulte estratégias. Seria, porém, primordial p/ pressionar contra os desmandos desde o golpeachment e a eleição fake de 2018: revogar o neoliberalismo, a bandidagem da familícia com a corrupção do centrão, acender a esquerda apática para ditar suas pautas, amedrontar bilionários que lucram em plena pandemia, denunciar ao povo brasileiro e ao mundo toda a esculhambação, etc. etc. etc.

A post shared by Fernando Graça (@f.e.r.n.a.n.d.o.g.r.a.c.a) on

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.